Brasileira campeã mundial de natação começou a nadar para tratar problema de saúde.

G 1 14/07/2021 - 01:01:17 Esportes

A água, essencial a todos os seres vivos, é terapia. A atleta mais consagrada que a natação brasileira já produziu é portadora de uma doença crônica desde a infância. Toma remédio duas vezes por dia e não tem do que se queixar. Ah, se não fosse a asma. Aos 30 anos, calcula ter nadado uns 40 mil quilômetros, o equivalente a uma volta em torno da Terra. Entre tosses e espirros.

“Tenho rinite, tenho sinusite, a corante também tenho muita alergia”, conta Etiene Medeiros.

Continua depois da Publicidade

Era criança quando a primeira crise chegou: “De repente, começou a fechar, coisa desesperadora. Esse dia eu tomei muito susto porque você pode morrer, asma mata “, lembra.

O médico recomendou: natação. E o que era tratamento virou ofício. Etiene Medeiros: a única brasileira campeã mundial. Ela nunca mais teve crises graves e atribui a melhora à natação. Mas, em qualquer lugar, onde vai a touca, onde vai o maiô: “Vai a bombinha!”. O remédio que testemunha cada treino.

“Porque, apesar da minha asma ser tratada, aquela ali vai ser minha emergência”, diz.

“A minha mãe teve esse olhar, de escutar profissionais, os médicos, de que um esporte iria mudar meu estado presente de saúde, e eu acho que a natação me escolheu. Ela foi me mostrando que podia não só ser uma atleta muito diferenciada, mas uma pessoa diferenciada. Acho que a natação me deu títulos, mas também me presenteou com coisas muito boas, valores pessoais muito bons”, diz Etiene.

Publicidade

Mais Acessadas da Semana

Parceiros