Cientistas tentam criar vacinas mais duradouras contra a Covid-19

da reportagem 22/05/2022 - 23:21:28 Diversos

Queda de proteção da imunidade ocorre, em média, de quatro a cinco meses após vacinação; cientistas estão trabalhando no desenvolvimento da próxima geração de vacinas.

À medida que ondas de novas variantes do coronavírus circulam pelo mundo, uma coisa ficou clara: a imunidade humana contra o vírus desaparece com o tempo.

Continua depois da Publicidade

Para manter uma proteção durável contra o vírus que causa a Covid-19, os cientistas estão trabalhando dia e noite para desenvolver uma próxima geração de vacinas. Mas algumas das nuances sobre por que e como a imunidade contra a Covid-19 desaparece permanecem um mistério.

As quedas mais acentuadas na imunidade — que ocorrem cerca de quatro a cinco meses após a vacinação e em até oito meses após a infecção, mas que podem variar – vão contra os sintomas da Covid-19 de contrair infecções e adoecer

A proteção contra infecções graves, hospitalização e morte permanece muito maior por um longo período de tempo, mas mesmo isso diminui em algum grau, especialmente para os idosos e aqueles com função imunológica comprometida.

Desde os primeiros dias da pandemia, os cientistas sabem que o coronavírus carrega uma estrutura chamada proteína spike e usa essa “coroa de espinhos” para entrar nas células que ataca. Nossas vacinas contra a Covid-19 criam anticorpos para essas proteínas spike que se atam nos locais de ancoragem do vírus, impedindo-os de infectar nossas células.

No entanto, nossa rede de segurança contra o vírus está se esgotando, em parte porque o vírus está mudando como um fugitivo vestindo um disfarce – pegando mutações que mudam a forma de seus espinhos de maneiras que os tornam menos reconhecíveis pelo nosso sistema imunológico.

Fonte: CNN

Publicidade

Mais Acessadas da Semana

Parceiros